Acolhimento e classificação de risco no pronto socorro do hospital de Caridade foi tema da tribuna popular

por Cris Bertaluci publicado 01/12/2015 13h09, última modificação 01/12/2015 13h09
No dia 30 de novembro de 2015, sob a Presidência do vereador Carlito Sommer, foi realizada a sessão plenária ordinária semanal. A enfermeira do Hospital de Caridade Tanise Carvalho de Oliveira usou o espaço da Tribuna Popular, para falar sobre o acolhimento e classificação de risco no pronto socorro do hospital.

No dia 30 de novembro de 2015, sob a Presidência do vereador Carlito Sommer, foi realizada a sessão plenária ordinária semanal. 

 A enfermeira do Hospital de Caridade Tanise Carvalho de Oliveira usou o espaço da Tribuna Popular, para falar sobre o acolhimento e classificação de risco no pronto socorro do hospital. 

Tanise ressaltou que devido ao aumento da demanda e o atendimento estar sendo feito por ordem de chegada, não avaliando os critérios de risco, buscou-se organizar o atendimento no seguinte sentido:

- Organizar a fila de espera com outra ordem de atendimento que não seja a ordem de chegada.

- Atender imediatamente o usuário com grau de risco elevado.

- Prestar informação ao paciente que não corre risco imediato, assim como seus familiares.

- Informar sobre o tempo provável de espera.

- Promover o trabalho em equipe por meio da avaliação contínua do processo.

- Aumentar a satisfação dos usuários. 

Desta forma, o atendimento está sendo realizado conforme áreas de emergências nas cores:

- Vermelho: sala de esbilização do paciente devidamente equipada e destinada ao recebimento, avaliação e estabilização das urgências e emergências clinicas e traumáticas. Após a estabilização estes pacientes serão encaminhados para internação nas unidades I, II, III ou UTI.

Tempo para o atendimento é IMEDIATO.

- Amarela: é realizado suturas, o atendimento e assistência de pacientes críticos e semi-críticos e sala de gesso para estabilização e imobilizações de fraturas, com tempo de espera para atendimento médico de aproximadamente 15 minutos.

- Verde: sala de observação feminina e masculina, com três leitos cada, destinada a pacientes não críticos, em observação ou internados aguardando vaga nas unidades de internação ou remoções para outros hospitais de maior complexidade, com tempo de espera para atendimento médico de aproximadamente 60 minutos.

- Azul: consultas de baixa complexidade, com atendimento de acordo com o horário de chegada e tempo de espera para atendimento médico que pode variar até 4 horas de acordo com a demanda desses atendimentos.

 Em função de ter sido a última sessão do mês, com a presença de entidade convidada, os discursos dos vereadores (grande expediente) foram suprimidos.

 Confira a explanação da enfermeira Tanise e o pequeno expediente dos vereadores.

 

Quatro projetos de lei deram entrada na Câmara de Vereadores e foram lidos na sessão:

- PROJETO DE LEI Nº 122/15 – Denomina o Centro de Convivência da Secretaria de Assistência Social como “Centro de Convivência Irmã Dulce”, que é um espaço de acolhida dos usuários dos serviços de assistência social. 

- PROJETO DE LEI Nº 123/15 – Abre crédito especial no orçamento no valor de R$ 20.000,00, para contabilização do pagamento de encargos sobre precatórios. 

- PROJETO DE LEI Nº 124/15 – Dispõe sobre as infrações e sanções administrativas ao meio ambiente e estabelece o processo administrativo municipal para apuração de tais infrações. 

- PROJETO DE LEI Nº 125/15 – Abre crédito especial no orçamento no valor de R$ 17.725,50, para contabilização de pagamento de consultas médicas, recurso este recebido do governo federal, referente custeio de procedimentos de diagnóstico em laboratório clínico.

 Projetos Votados: 

PROJETO DE LEI Nº 114/15 – Atualiza a descrição da área de terras adquirida pela municipalidade no ano de 2002 do Senhor Alípio Haas, localizada no Loteamento Pró-Morar, em Padre Gonzales.

 PROJETO DE LEI Nº 115/15 – Altera a Lei municipal nº 4.270, de 26 de agosto de 2009, conforme exposto pela instituição Lar Bom Pastor de Ivagaci, a partir de janeiro de 2016 será necessário um reajuste dos valores repassados pelos Municípios que encaminham crianças e adolescentes para acolhimento institucional. 

PROJETO DE LEI Nº 116/15 – Autoriza abertura de crédito especial no valor de R$ 2.400,00, para correta contabilização de despesas para pagamento de auxílio aos estudantes, conforme previsto em convênio assinado pela Administração Municipal e a UERGS. 

PROJETO DE LEI Nº 119/15 – Altera a estrutura administrativa da Prefeitura Municipal, pois se encontra defasada, necessitando ser atualizada, realocando-se setores e divisões, efetuando uma melhor distribuição entre as Secretarias e Órgãos municipais existentes, visando, sobretudo, a otimização das atividades executadas.

 PROJETO DE LEI Nº 120/15 – Autoriza abertura de crédito especial no valor de R$ 10.000,00, para contabilização de despesas que não foram incluídas no orçamento para o atual exercício, em razão de recurso estadual, para manutenção das atividades de Vigilância Epidemiológica.

 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 04/15 – Altera o Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Três Passos, revogando o art. 141 que prevê que “no caso de afastamento do Cargo, o Servidor poderá permanecer como contribuinte do Instituto de Previdência do Município como se em exercício estivesse, sendo, neste caso, responsável pela contribuição pessoal e patronal.” A revogação se justifica considerando que o referido artigo é inconstitucional, visto que o mandato eletivo é garantia constitucional e a Lei Municipal não pode impor que o custeio de contribuições previdenciárias no caso de servidor público ocorra somente por conta dele.

 

Foram solicitados ao Prefeito Municipal os pedidos de providências, para que seja feita a abertura completa da Av. Castelo Branco; e a instalação dos tubos e o fechamento da vala aberta, que passa pela propriedade do Sr. Nelson Gay, em Alto Molina.

 

Confira estes pedidos acessando o link PROCESSO LEGISLATIVO